Room of Names (Sala dos Nomes)

DIGITAL MEMORIAL BOOK FOR THE DEAD OF THE MAUTHAUSEN CONCENTRATION CAMP AND ITS SUBCAMPS 1938-1945


Pelo menos 90.000 pessoas foram assassinadas no campo de concentração de Mauthausen e seus subcampos entre agosto de 1938 e maio de 1945, ou morreram imediatamente após a libertação como resultado de sua prisão. A lembrança dos mortos é um dos compromissos centrais e tarefas do Memorial Mauthausen; mas também representa uma responsabilidade social mais ampla e um esforço compartilhado.

Através do projeto 'Sala de Nomes' ('Livro Memorial Digital'), o museu memorial tem procurado evocar os mortos do campo de concentração de Mauthausen e seus subcampos. Este projeto faz parte do projeto "Memorial Book for the Dead of the Mauthausen Concentration Camp" que é composto por este site e a publicação em maio de 2016 de uma edição impressa. O projeto reproduz a 'Sala de Nomes' no Memorial Mauthausen, inaugurado ao público em 2016.

Aqui podem ser encontrados os  cidadãos portugueses que passarm ou pereceram neste campo.

 

23 de Abril - Dia Mundial do Livro

23 abril 2022

capa do Livro

Carlos Teixeira da Mota : o primeiro diplomata português em Luanda (junho de 1975-maio de 1976) / António Duarte Silva, org.
Publicação: Lisboa: Tinta da China, 2020
Desc.Física: 430 p. : il.: Ilustrações ; 21 cm
ISBN: 978-989-671-583-0
Notas: "Em junho de 1975, Carlos Teixeira da Mota (1941-1984) partiu para Luanda com a missão de preparar a Embaixada que passaria a representar  Portugal após a independência de Angola, marcada para 11 de novembro desse ano (1975), e por lá ficou em funções oficiais até maio de 1976". [Editor]




capa do Livro



Na primeira Pessoa: José César Paulouro das Neves / Pedro Aires Oliveira, org. / António Duarte Silva, org.

Publicação: Lisboa: Tinta da China, Instituto diplomático 2021
Desc.Física: 224 p. ; 21 cm
ISBN: 978-989-671-662-2
Notas: "Este livro constitui uma homenagem ao Embaixador Paulouro das Neves, que representou Portugal como chefe de missão em Maputo, Madrid, Bruxelas, Roma e Paris. A sua carreira diplomática foi longa e diversificada, incluindo passagens por Tóquio, Estugarda e Brasília, e ainda funções como assessor diplomático em São Bento e, mais tarde, como chefe do gabinete do Ministro dos Negócios Estrangeiros. Foi um dos mais brilhantes diplomatas da sua geração, e esta obra dá-o a conhecer a um público mais vasto do que os restritos círculos políticos ou os seus contemporâneos no Palácio das Necessidades." José de Freitas Ferraz (Prefácio)


capa do Livro

Portugal nas Nações Unidas : 65 anos de história / José de Freitas Ferraz; Raquel Duque, org.
Publicação: Lisboa: Tinta da China, 2021
Desc.Física: 558, [2] p ; 21 cm
ISBN: 978-989-671-619-6
Notas: "Esta é a história da integração portuguesa nas Nações Unidas. Do seu início atribulado, sob o colonialismo tardio de Salazar e em contexto de Guerra Fria. Da viragem diplomática no pós-25 de Abril. Da participação destacada em áreas de direitos humanos - de que são exemplos a campanha pela libertação de Timor-Leste e o empenho incansável na consagração e promoção dos direitos da criança. Da eleição, em três ocasiões, como membro não permanente do Conselho de Segurança e ainda da eleição de António Guterres como secretário-geral. O volume encerra com uma apresentação prospetiva do cenário mundial que se avizinha e do papel a desempenhar pela ONU."[Editor]

 

Bernardo Futscher Pereira deposita espólio no Arquivo Diplomático

Dez. 20, 2020

O Arquivo Diplomático viu o seu fundo enriquecido com o depósito do arquivo pessoal do Embaixador Futscher Pereira.

O diplomata que, em conjunto com a sua irmã Vera já doara ao Arquivo diplomático o espólio do seu pai, decidiu fazer o mesmo com o seu acervo. O fundo que resulta maioritariamente da atividade profissional do diplomata constituirá uma fonte importante para o conhecimento dos últimos anos do séc.XX, em termos de política externa.

Também investigador, autor de dois volumes sobre a diplomacia de Salazar e do Estado Novo, Bernardo Futscher conhece bem a importância das fontes para  a  investigação histórica e demonstra-o com esta oferta.

O inventário pode ser consultado no catálogo do Arquivo e da Biblioteca, mas o acesso depende de autorização do autor.

 

Jornadas sobre a Shoa (Holocausto) e outros genocídios

Maio 2, 2018
O Instituto de História Contemporânea (IHC - NOVA FCSH) e o Memorial de la Shoah (Musée et Centre de Documentation, Paris), com o apoio da Memoshoá - Associação Memória e Ensino do Holocausto e do Instituto de Relações Internacionais (IPRI-NOVA),...

Ler mais...

 

Call for Papers | Conferência "Um século de Internacionalismos: A promessa e os Legados da Sociedade das Nações"

Maio 2, 2018
O Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa divulga a Call for Papers para a Conferência "Um século de Internacionalismos. A promessa e os Legados da Sociedade das Nações", que...

Ler mais...

 

Seminário dos Cônsules Honorários de Portugal

Abril 20, 2018
Realizou-se nos passados dias 16 e 17 de Abril, no Museu do Oriente, o primeiro Seminário dos Cônsules Honorários intitulado "Rede honorária de Portugal no mundo: realidade e potencial" que teve como principal objetivo promover e orientar...

Ler mais...

 

Tomada de posse dos novos Adidos de Embaixada

Abril 23, 2018
No passado dia 20 de abril, os novos Adidos de Embaixada do Ministério dos Negócios Estrangeiros tomaram posse no gabinete do Secretário-Geral, Embaixador Álvaro Mendonça e Moura, no Palácio das Necessidades, em Lisboa. "Vocês têm que estar...

Ler mais...

 

Workshop sobre as melhores práticas internacionais em projetos de digitalização já está disponível no canal do Youtube «Diplomacia.pt»

Maio 6, 2021

O projeto Refúgio, Migração e Holocausto arrancou com uma discussão teórica e metodológica sobre "Arquivos e investigação história: as melhores práticas internacionais em projetos de digitalização". O debate desenrolou-se a partir das apresentações dos programas Dodis, Metagrid, EHRI e Rossio.

Na Parte 1 da gravação, pode ouvir Sacha Zala ("Publicando e interconectando documentos diplomáticos: o caso suíço: Dodis e Metagrid"), e Veerle Vanden Daelen e Mike Bryant ("EHRI em diálogo com arquivos e projetos sobre publicação sustentável de metadados em fontes do Holocausto").

Na Parte 2, Daniel Alves fala sobre "Plataformas de fonte aberta para ligar dados e melhorar a investigação: abordagens da Infra-estrutura ROSSIO e do Laboratório de Humanidades Digitais do IHC". Em ambas, o diálogo entre os convidados e a equipa do projeto Refúgio, Migração e Holocausto foi animado e produtivo. Disponível nestes links do canal Diplomacia.pt:


https://www.youtube.com/watch?v=592O8_DIDio


https://www.youtube.com/watch?v=bL7L8eRCvWk

 

Acesso à sala de leitura

Informamos os nossos leitores de que a partir de 1 de setembro de 2021 a lotação da sala de leitura irá aumentar para 5 utilizadores por dia. No entanto, mantêm-se as seguintes regras:

1. Deverá ser feita marcação prévia, por  correio eletrónico para dab@mne.pt, indicando a documentação pretendida.

2. É obrigatório o uso de máscara e luvas durante a permanência na Sala de Leitura

3. Na Sala de Leitura e junto dos cacifos deve ser mantido o distanciamento social de 2 (dois) metros, enquanto o leitor aguarda a sua vez de

atendimento e de utilização.

4. É obrigatória a higienização das mãos à entrada da sala de leitura - lavagem com água e sabão e/ou solução antissética de base alcoólica

5. Respeito pela etiqueta respiratória, nomeadamente evitar tossir e espirrar

para as mãos e para cima dos livros e documentos"

 

Prémio RADI para a Investigação 2021

1 maio 2021

Prémio RADI para a Investigação 2021

Estão abertas as candidaturas para o Prémio RADI para a Investigação 2021. Nesta 5ª edição, e mais uma vez, a Rede de Arquivos Diplomáticos Iberoamericanos (RADI) abre o processo de candidatura a todas as investigações - individuais ou colectivas - cujo tema esteja directamente relacionado com a história das relações diplomáticas no espaço ibero-americano.
As candidaturas estão abertas até 31 de Maio de 2021 e o prémio para a investigação vencedora será de US$2500 (dólares norte-americanos).

 

Relatório de Actividades relativo ao programa nunca esquecer

2022-03-24

Relatório de Actividades relativo ao programa nunca esquecer

Logo Programa Nunca Esquecer

O Programa Nunca Esquecer foi instituído pela Resolução da Presidência do Conselho de Ministros n.º 51/2020, publicada em 25 de junho de 2020, para preservar a memória do Holocausto, prevenir e combater a discriminação e promover a salvaguarda dos direitos humanos.

Leia o Relatório de Atividades relativo ao Programa Nunca Esquecer - Programa Nacional em torno da Memória do Holocausto, da Comissária do Projeto Nunca Esquecer, Marta Santos Pais.

 

 

 

Programa Nunca Esquecer - Lançamento de 3 livros de investigação

Programa Nunca Esquecer - Lançamento de 3 livros de investigação

17 Jun 2021

No âmbito do Programa Nunca Esquecer, no passado dia 17 de Junho teve lugar o Ministério dos Negócios Estrangeiros a cerimónia de lançamento de três obras de investigação, publicadas na Coleção "Essencial Sobre" da INCM, e que podem ser acedidas gratuitamente.

Ler mais...

 

Refúgio, Migração e Holocausto, 1936- 1945: A Coleção de Vistos do Arquivo Diplomático e uma Coleção Fotográfica da Cruz Vermelha Portuguesa"

2022 abr 3

Refúgio, Migração e Holocausto, 1936- 1945: A Coleção de Vistos do Arquivo Diplomático e uma Coleção Fotográfica da Cruz Vermelha Portuguesa" - relatório final

Ref Migr Holocaut 1A

O projeto Refúgio, Migração e Holocausto' consiste no tratamento arquivístico, digitalização, estudo e divulgação pública de um conjunto documental, da Repartição dos Assuntos Consulares, importante para o conhecimento de rotas de fuga durante a II Guerra Mundial. Este serviço centraliza os pedidos de visto apresentados ao Ministério dos Negócios Estrangeiros e aos consulados portugueses. O seu estudo permitirá lançar luz sobre o destino dos refugiados, em especial dos judeus, que escaparam ao genocídio, e daqueles a quem o visto foi recusado e que acabaram em campos nazis. Permitirá melhor conhecer a atuação dos cônsules portugueses.

Pode consultar o Relatorio AQUI


 

Prémio Aristides de Sousa Mendes da Associação Sindical dos Diplomatas Portugueses

Prémio Aristides de Sousa Mendes da Associação Sindical dos Diplomatas Portugueses

if 02

Encontra-se aberto, até 31 de março de 2022, o concurso para atribuição do Prémio Aristides de Sousa Mendes da Associação Sindical dos Diplomatas Portugueses para o melhor artigo académico original sobre política externa e diplomacia portuguesa.

Para mais informações consulte aqui 


 

Podcast "Mala Diplomática", ep. 5:

Aristides e os diplomatas salvadores do Holocausto, com Marta Santos Pais

A jurista Marta Santos Pais é a quinta convidada do podcast Mala Diplomática, onde falou da sua experiência como comissária do projeto Nunca Esquecer, criado para homenagear o papel dos diplomatas portugueses que, como Aristides de Sousa Mendes, salvaram vidas durante o Holocausto.

O projeto Nunca Esquecer permitiu aprofundar o conhecimento e estudo da ação dos diplomatas que, incumprindo as ordens que recebiam do regime do Estado Novo, ajudaram milhares de pessoas a fugir de uma morte certa.

"Não houve uma aceitação inquestionável das instruções recebidas por Lisboa e muitos deles fizeram sentir como essas instruções iam no sentido contrário à História", disse Marta Santos Pais. "Assim se salvaram milhares de pessoas."

Oiça este episódio no YouTube ou no Spotify.

 

Ano Ibero-Americano das Bibliotecas

2021 foi declarado Ano Ibero-Americano das Bibliotecas na última XX Conferência Ibero-Americana de Ministras e Ministros da Cultura da Ibero-América, realizada em 2019. Este acordo estabelece uma oportunidade de abrir uma conversa regional sobre a validade das bibliotecas em nossa região e seu papel no desenvolvimento dos países ibero-americanos  

No contexto da pandemia, e a meio a grandes desafios de acesso à informação, todos os tipos de bibliotecas se reafirmaram como espaços necessários para que as pessoas tenham acesso a um conhecimento confiável, locais que garantam o acesso à informação e desenvolvimento de seus direitos culturais.

O Ano Ibero-Americano das Bibliotecas reunirá todos os tipos de bibliotecas: públicas, populares, comunitárias, digitais, móveis e itinerantes, universitárias, escolares, especializadas, indígenas, em cadeias ou prisões, nacionais, entre outras. Da mesma forma, será um tempo de reflexão ao redor das bibliotecas de uma região conformada por 23 países: Andorra, Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

Video Institucional   ver mais